Guardados no Senhor | Salmo 121

Introdução

Outro dia eu passeava com meus dois filhos na rua de minha casa, e meu filho mais velho (Pedro Augusto), todo confiante, corria e dava saltos de alegria por estar passeando. Ele, em suas descobertas, percebeu que podia correr e saltar ao mesmo, como [dizia ele] um canguru.

Eu, como todo pai cuidadoso o alertava durante o caminho sobre os perigos de tropeçar e cair, também havia o risco de carros e motos transitando naquele horário. Pedro Augusto respondia: “Tá bom pai”, mas sem tomar os cuidados necessário.

Em dado momento, sem que eu percebesse, ele buscou proteção entre as minhas pernas e estava um pouco assustado. Eu, com o Vitor Hugo no colo (filho mais novo), me virei e perguntei o que tinha acontecido. Pedro Augusto apontou o dedo na direção de dois cachorros pequenos que estavam presos no portão de uma casa. Neste momento eu disse: Viu porquê estou falando pra você tomar cuidado? Olha o perigo aí!

O que me chamou atenção não é a questão do perigo dos dois cachorros, até porque estavam presos e a muitos metros de distância de onde estávamos. Mas, o fato dele buscar proteção em seu pai. Pra ele, mesmo entre as minhas pernas, ali era o lugar mais seguro que poderia encontrar.

Ali ele encontrou o socorro que precisava. Ali ele estaria protegido dos possíveis ataques dos cachorros. Ali ele encontrou segurança, não precisava correr mais. Ali ele estava guardado de todo mal.

Este salmo fala de nossa verdadeira segurança e proteção. Fala onde podemos encontrar socorro em tempos de sofrimento, privação, dor e incertezas. Este salmo nos apresenta um Deus que nos socorreaquele único que pode nos socorrer quando estamos perdidos e aflitos. Apresenta também um Deus onde encontramos segurança – aquele único lugar seguro onde podemos descansar tranquilos. Este salmo apresenta um Deus protetor – aquele único que pode nos manter longe dos perigos e nos livrar de todo o mal. Este é o salmo que somente os peregrinos que se encontram guardados no Senhor podem entoar.

O salmo 121 é o segundo dos cânticos de romagem. O peregrino que cantou o salmo 120 estava decepcionado com as pessoas de lábios mentirosos e língua enganadora que odiavam a paz e teimavam em permanecer e promover guerras, mas encontrou paz em Deus. Agora, ele percebe a realidade do sofrimento e decide buscar o socorro de Deus. O salmo 121 é um dos salmos prediletos dos cristãos porque ele fala de esperança, proteção e refrigério nas horas de angústia.

Assim como o salmo 120, este tem muito a nos ensinar. Há ensinos que revelam o caráter de Deus e as obras de suas mãos, como também podemos aprender com o posicionamento do salmista em reação aos sofrimentos e abalos que enfrentava enquanto peregrinava neste mundo. Já podemos aprender com ele que, embora tudo isso, ele louva e clama a Deus. O louvor e o clamor não podem sair de nossos lábios, assim como o conhecimento de Deus (atributos) e as suas obras não podem serem estranhas em nosso entendimento.

Em relação ao caráter de Deus, o salmista expõe algumas características peculiares. Ele fala que Deus:

  1. “…fez o céu e a terra” – v.2b: o Deus criador;
  2. “…não dormitará aquele que guarda você” – v.3b: o Deus que não se cansa, portanto, não dorme;
  3. “…o guarda de Israel” – v.4b: o Deus que guarda, o verdadeiro sentinela;
  4. “…o Senhor é a sombra à sua direita” – v.5b: o Deus onipresente;
  5. “O Senhor guardará você de todo o mal…” – v.7a: o Deus todo poderoso;
  6. “…guardará a sua alma” – v.7b: o Deus salvador;
  7. “…desde agora e para e sempre” – v.8b: o Deus eterno e imutável.

Esta percepção do salmista sobre o ser de Deus contribuiu para que o seu posicionamento diante do sofrimento não fosse de derrota e sem esperança. Ele só pôde ter certeza de que sua vida estava guardada em boas mãos porque, antes, o conhecimento que tinha de Deus era suficiente para manter-se assim: seguro e protegido.

O salmista faz aquele tipo de pergunta retórica que vamos encontrar em muitos Salmos. Ele pergunta e dar a resposta. Em seguida, convicto de que sua vida está guardada e segura no Senhor, ele lembra a si mesmo de quem é Deus.

E quem é Deus na visão do salmista? Vejamos:

i. Deus é seu Socorro – v.1-2

Pense naquela cena de um filme de super-herói, onde alguém está em perigo e grita por socorro, imediatamente o super-herói aparece para socorrer. A cena é bem parecida aqui neste salmo. A diferença é que o Senhor é o socorro bem presente na vida do salmista. Ele (Deus) não precisa vir nos socorrer quando estamos em perigo porque, como diz o salmista, já se faz presente conosco constantemente: “O Senhor é quem guarda você; o Senhor é a sombra à sua direita” – v.5.

O que me chama atenção nestes versículos não é apenas a certeza que o salmista tem de que Deus vem lhe socorrer. Mas, a descrição que faz daquele que vem lhe socorrer. Ele diz que o seu socorre vem do Senhor, e não é qualquer senhor, mas aquele que fez o céu e a terra. Isto significa dizer que o Senhor que vem lhe socorrer além de ser o Criador de todas as coisas, é também o todo poderoso Deus. Portanto, o Deus que vem socorrer o seu povo é o mesmo que fez, do nada, todas as coisas.

O salmista começa falando dos montes após olhar e se perguntar: de onde vem o meu socorro? Esta pergunta surgiu porque a cidade de Jerusalém era cercada por montes; e, talvez, ela tenha sido construída em um desses montes, o que contribuía para a sua segurança e proteção preventiva contra os ataques dos possíveis inimigos estrangeiros. Os montes simbolizavam uma fortaleza segura e estratégica para a cidade. Simbolizavam a presença do Yahweh (Senhor).

O Dr. Norman Champlin (2001, Pág. 2461), falando sobre essa descrição que o salmista expõe sobre os montes, ele diz o seguinte:

Dizer que a ajuda viria dos montes era o mesmo que dizer: “A ajuda virá do templo, onde Yahweh se manifesta”. O peregrino, avançando lentamente pelas planícies e pelos desertos, nos olhos de sua mente, podia ver as colinas em derredor de Jerusalém, pois em breve veria as manifestações de Yahweh e sentir-se-ia seguro. Elevar os olhos é um gesto de oração [e fé], pelo que o nosso homem [peregrino], orou para que chegasse em segurança ao monte santo.

É por essa razão que o salmista pode fazer essa comparação e constatação de que seu socorro vem do Senhor, ao contemplar os montes enquanto se aproxima de Jerusalém. O seu socorro vem daquele que fez esses montes. Se o salmista poderia confiar na segurança e proteção por apenas contemplar os montes, que são obras das mãos do Yahweh (Senhor), então ele estaria mais seguro ainda nas mãos daquele que criou os montes e todas as coisas.

Portanto, o Criador de tudo e de todos é também o Ajudador e Sustentador de todos os que estão em aflição e necessitam de um socorro. O autor aos Hebreus, falando de Jesus Cristo, diz o seguinte: Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas (Hb 1.3).

Dos montes vinha a certeza de segurança dos peregrinos. Os montes são obras da criação de nosso Senhor Jesus Cristo, portanto, nosso socorro vem do Senhor. O mesmo que criou e sustenta o céu e a terra com suas mãos poderosas é o mesmo que pode nos socorrer em tempos de insegurança, dor e sofrimento. Nele, estamos guardados em segurança.

Além do Deus descrito pelo salmista ser o socorro bem presente, ele também é a sua segurança.

ii. Deus é a sua Segurança – v. 3-4

Homens poderosos e autoridades políticas andam sempre com seus seguranças, ainda assim são surpreendidos com ataques de seus opositores. Da mesma forma somos nós. Buscamos a segurança de nossos muros, cercas elétricas, câmeras de vigilância e ainda assim somos surpreendidos pelos salteadores de plantão.

Os peregrinos temerosos em sua caminhada podem contar com a ajuda do Senhor. O Senhor os leva em segurança até a Jerusalém. Eles são guardados e protegidos em segurança pelo Deus criador e sustentador de todas as coisas.

Esta porção do texto expressa a segurança que o salmista encontra no Senhor. O trajeto para Jerusalém envolvia um caminho difícil, com muitas paradas para descansar, noites frias e dias ensolarados, além dos perigos dos salteadores. O salmista vê no Senhor um guarda sempre alerta guardando em segurança sua propriedade.

Esse guarda não apenas está em vigilância protegendo sua vida contra os malfeitores, mas também o auxilia na caminhada para que não tropece e cai. Em outras palavras o salmista diz que esse guarda vigia de perto cada um dos meus passos, sem cochilar, para não deixar você tropeçar ou cair.

Mesmo em tempos de sofrimento, devemos nos lembrar que o nosso Deus não dorme. Ele é esse guarda de Israel que está sempre em alerta e vigilante. Ele acompanha seus peregrinos em sua longa caminhada, dando-lhes a segurança necessária para chegar ao seu destino.

É por esse motivo que podemos recorrer a Ele, na certeza de que obteremos a resposta necessária. Ele cuida, sustenta e zela pelo seu povo. Foi exatamente isso que Jesus disse aos seus discípulos quando consolava seus corações angustiados por ouvir dele que era necessário subir ao céu mais uma vez. Ele diz “…E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mt 28.20b).

iii. Deus é sua Proteção – v.5-8

O salmista tem uma percepção graciosa da parte de Deus sobre o seu povo. Ele consegue relacionar algo comum de seu dia a dia com a proteção que recebe de Deus. Quão importante e fortalecedor é saber que não apenas estamos seguros nas mãos de Deus, mas também protegidos de todo o mal. Isto não significa dizer que nesta vida não enfrentaremos dias maus e dolorosos. Perceba que o salmista diz que o sol [de dia] continuará raiando seu calor sobre ele e, a lua [de noite] da mesma forma.

O ponto do salmista aqui é que estando guardados no Senhor, então, estamos protegidos dos males que a cada manhã se levantam contra nós. Estar protegido é fator importante para que o povo de Deus consiga perseverar nesta vida. Como diz o Senhor Jesus “…No mundo, passais por aflições…” (João 16.33b); está é uma verdade que não foi ocultada do povo de Deus. Em outro momento, Jesus também diz aos discípulos “…acautelai-vos dos homens; porque vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas; por minha causa sereis levados à presença de governadores e de reis, para lhes servir de testemunho, a eles e aos gentios” (Mateus 10.17-18); ele diz isso pra deixar claro que neste mundo, enquanto estivessem comprometidos com o Reino de Deus, eles também sofreriam.

Diante desta verdade dita por Jesus, o que motiva seus discípulos a manterem-se em sua presença e perseverantes na missão? Jesus disse a eles “…mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16.33c); isso muda tudo! Seus discípulos poderiam continuar na missão e enfrentarem qualquer coisa que viesse sobre eles na certeza de que tudo já foi vencido pelo seu Senhor e Mestre. Eles poderiam continuar pregando e falando das Boas Novas de Salvação, mesmo correndo riscos porque, tudo o que enfrentariam, Jesus tinha condições e poder suficiente para protege-los e os guardar de todo o mau.

Jesus também disse a eles “E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer, visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai é quem fala em vós” (Mateus 10.19-20). Com isso Ele estava garantindo aos seus discípulos que estaria com eles e que os manteriam protegidos, mesmo que fossem açoitados e presos, mas suas vidas já estariam protegidas eternamente nele.

Conclusão

O quão importante é saber que estamos guardados no Senhor. Estar guardado no Senhor significa recebermos o seu socorro, segurança e proteção em todo o tempo. Em Jesus estarmos guardados. Há segurança para aquele que estar em Cristo Jesus. Há proteção para aquele que confia no poder de Jesus Cristo. Há socorro para os que clamam por Ele.

Nas horas de sofrimento onde você procura socorro? O Salmo 121 é uma espécie de Gênesis 1 em forma poesia que visa encorajar os peregrinos. O Criador não está distante. O Criador está ao lado dos peregrinos! O Criador não dorme, ele está acordado 24 horas! Seu cuidado é eterno! Se você está consumido pelo sofrimento volte seus olhos para o Criador de todas as coisas. Ele guardará a tua alma! Ele guardará sua mente e coração!

Publicado por Pr. Luiz de Souza

Não ousaria me definir em frases prontas ou palavras que prefiguram alguém que ainda esta em construção. Vivo para que Deus seja conhecido e busco conhecer cada vez mais esse Deus. Minha gratidão é plena ao ser alcançado e resgatado por Jesus, e por isso vivo para que Ele cresça e eu diminua cada vez mais. Pois "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo". [Ef 3.8]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

bombasonica

busque evolução e se liberte!

RACHEL SHEHERAZADE

Sermões | Artigos | Devocionais

Consciência Cristã

Sermões | Artigos | Devocionais

O Tempora, O Mores

Sermões | Artigos | Devocionais

Voltemos Ao Evangelho

um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Renato Vargens

Sermões | Artigos | Devocionais

%d blogueiros gostam disto: