SÉRIE: BEM-AVENTURADOS #1

TEXTO BÍBLICO: Mateus 5.1-2 [ARA].

Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e ele passou a ensiná-los, dizendo:

A importância das Bem-aventuranças e suas aplicações.

INTRODUÇÃO

O mundo tem entrado nas igrejas e a igreja tem se mundanizado cada vez mais. Tem sido muito difícil para muitos, diferenciar aqueles que estão em Cristo e vivem de tal forma, com aqueles que estão no mundo. Hoje em dia, todos são crentes em alguma coisa; até mesmo aqueles que dizer ser em Jesus, mas suas vidas continuam as mesmas. Não mudança de atitude e muito menos de testemunho.

Infelizmente, dentro das igrejas também há aqueles que participam das programações, mas não foram transformados totalmente. Há aqueles que carregam a bíblia debaixo do braço, mas não no coração. Há também aqueles que são pontuais em seus compromissos ministeriais, mas vivem de maneira irresponsável no mundo.

O sermão do monte é o primeiro de cinco grandes blocos de ensinos que aparecem em Mateus. Os capítulos 5 a 7 apresentam mais informações sobre os padrões éticos da soberania do reinado de Deus do que qualquer outra passagem, e portanto, têm sido extremamente valorizados pela igreja.

Havia um costume na cultura judaica que o professor e/ou mestre sentava-se e seus seguidores o cercavam para aprender seus ensinos e instruções. Jesus é um Mestre que vem arrebanhando mais seguidores a cada ensino; porém, suas instruções têm um publico alvo específico; Ele prega para aqueles a quem chamou para mais perto e que foram escolhidos para participarem do reino dos céus e serem chamados de filhos de Deus.

O sermão pregado por Jesus no monte tem um destinatário específico: seus discípulos. A mensagem dotada de autoridade do Messias diz respeito à vida do Reino para os seus discípulos; assim também a igreja, que é composta por diversos discípulos de Cristo precisa aprender e absorver o caráter do verdadeiro discípulo de Cristo; e, portanto, viver de maneira bem-aventurada neste mundo e no por vir.

QUAL A IMPORTÂNCIA DAS BEM-AVENTURANÇAS PARA A IGREJA?

Com a meditação das “Bem-aventuranças” podemos compreender melhor quem são os felizes em Jesus. Compreenderemos a raiz dessa felicidade e saberemos distinguir a verdadeira felicidade que envolve aquele que está em Cristo Jesus.

O grande alvo que a humanidade busca é a felicidade. O mundo inteiro anela obter a felicidade, e quão trágico é observar como as pessoas a estão procurando e tentando alcançar esse objetivo a todo custo.

 A igreja do Senhor precisa compreender que a verdadeira felicidade não está nas coisas que o mundo pode oferecer. O Sermão pregado por Jesus no Monte diz respeito à aqueles que são felizes por estarem num caminho certo; ao mesmo tempo, a igreja precisa saber identificar o perfil/caráter daquele que está em Jesus.

QUEM É O “BEM AVENTURADO”?

É importante saber quem é o “bem-aventurado” ou quem pode ser “bem-aventurado”. Nosso Senhor não disse que estava prestes a descrever certos personagens notáveis que poderiam existir neste mundo. Antes, descreveria todo e qualquer dos Seus seguidores. O texto de Mateus é bem específico ao descrever quem é o seguidor a que Jesus se dirige – os seus discípulos (v.1d).

O bem-aventurado é todo aquele que desfruta da presença de seu Senhor e Mestre. É aquele que estar em Cristo Jesus e manifesta um caráter transformado por Ele. É aquele que conheceu a verdade sobre si mesmo, sobre o mundo, sobre Deus e tudo mais, por meio de Cristo; ou seja, o bem-aventurado é todo que foi salvo em Jesus e desfruta desta salvação na vida cristã.

POR QUE SÃO “BEM-AVENTURADOS”?

Esse discípulo não é feliz por apenas desfrutar das bênçãos recebidas de Jesus (salvação/perdão/redenção), mas também por estar diante de seu Mestre e Senhor; é por esse motivo que esse discípulo também é mais que feliz – bem-aventurado; ou seja, todo aquele que está em Jesus foi salvo e pertence a Ele, por isso que é seu discípulo.

Ora, do ponto de vista do caráter e do ponto de vista daquilo que os crentes deveriam ser, não há nenhuma diferença entre um crente e outro. Espera-se que todos nós exemplifiquemos aquilo que está contido nas bem-aventuranças, ou seja, todos que estão em Cristo são chamados para viverem as bem-aventuranças em suas vidas.

Não temos aqui apenas uma descrição de alguns homens piedosos que viveram ou vivem de maneira coerente à vida que recebeu; como por exemplo: Hudson Taylor, George Muller, George Whitefield e John Wesley. Mas, trata-se de uma descrição de todo e qualquer crente.

Espera-se que cada um de nós siga de perto esse modelo apresentado por Jesus e que alcance esse padrão elevadíssimo. Assim, não é correta a opinião de quem afirma que alguns são “humildes de espírito” e que outros são “mansos”; que alguns são “os que choram” e que outros são os “pacificadores”, e assim por diante. Espera-se de cada crente que ele cumpra cada um desses requisitos, manifestando-os ao mesmo tempo em sua vida.

Cada uma dessas características, em certo sentido, requer a presença das demais qualidades. Na verdade, é impossível alguém manifestar qualquer dessas graças, conformando-se à bem-aventurança pronunciada a respeito dela, sem que, ao mesmo tempo, inevitavelmente exiba as outras graças também. As bem-aventuranças formam um complexo integrado, e não podemos separá-las umas das outras.

POR QUE NEM TODOS SÃO “BEM-AVENTURADOS”?

Podemos responder essa questão de duas maneiras, sendo ambas integradas:

  • Nem todos estão em Cristo Jesus. Somente aqueles que, não apenas seguem a Jesus, mas também aprendem com Ele são bem-aventurados.

A palavra “discípulo” vem do grego μαθητης mathetes que quer dizer “aprendiz, pupilo, aluno”. Isto significa que, para ser bem-aventurado, é necessário aprender como um aluno com o Mestre Jesus, e nem todos são chamados pra isso.

  • Nem todos que seguem a Jesus buscam a felicidade nele, a maioria buscam a felicidade dele.

Esses pseudos seguidores estão interessados no que Jesus pode oferecer e não querem o que pode fazer na vida deles. Querem o pão da multiplicação, mas não o pão vivo que desceu do céu. Querem beber da água que sacia a cede, mas não a que purifica.

Vale ressaltar que as características apresentadas por Jesus em seu sermão no monte, diz respeito àqueles que Ele chamou pra mais perto e os ensinou uma a uma; ou seja, o discípulo de Jesus só é bem-aventurado porque aprendeu ou absorveu o seu ensino e instrução; de outra maneira, ele não seria bem-aventurado.

DE QUE MANEIRA PODEMOS VIVER NESTE MUNDO COMO SENDO “BEM-AVENTURADO”?

Qualquer um de nós, e mesmo todos nós, sem importar o que sejam por motivo de nascimento, precisamos exibir essas características quando nos tornamos crentes. E não somente precisamos exibi-las, também podemos exibi-las. Essa é glória mais central do evangelho. O evangelho pode tomar o individuo mais orgulhoso do mundo e transformá-lo em alguém que é humilde de espírito.

Podemos viver neste mundo como sendo bem-aventurados, uma vez que apresentarmos o caráter de Cristo em nós. A igreja será um referencial de felicidade e harmonia quando todos, individual e coletivamente, exibirmos o Fruto do Espírito.

CONCLUSÃO

Nas bem-aventuranças temos características e disposições resultantes da graça divina, produtos do Espírito Santo, e por isso, ao alcance de todos os verdadeiros discípulos de Jesus.

Não deveríamos ambicionar serem os mais parecidos possíveis com todo mundo, embora continuássemos sendo crentes; pelo contrário, deveríamos ambicionar ser o mais diferente possível daqueles que não são crentes. Nossa ambição deveria ser assemelharmo-nos a Cristo, e quanto mais, melhor. Quanto mais nos parecermos com Cristo tanto mais seremos diferentes de todos os que não são crentes em Jesus.

Publicado por Pr. Luiz de Souza

Não ousaria me definir em frases prontas ou palavras que prefiguram alguém que ainda esta em construção. Vivo para que Deus seja conhecido e busco conhecer cada vez mais esse Deus. Minha gratidão é plena ao ser alcançado e resgatado por Jesus, e por isso vivo para que Ele cresça e eu diminua cada vez mais. Pois "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo". [Ef 3.8]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

bombasonica

busque evolução e se liberte!

RACHEL SHEHERAZADE

Sermões | Artigos | Devocionais

Consciência Cristã

Sermões | Artigos | Devocionais

O Tempora, O Mores

Sermões | Artigos | Devocionais

Voltemos Ao Evangelho

um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Renato Vargens

Sermões | Artigos | Devocionais

%d blogueiros gostam disto: