A Família na Missão de Deus

INTRODUÇÃO

Falar de “família” nos dias de hoje é algo desafiador para todos nós, principalmente para a “família cristã”.

O tempo em que vivemos se modernizou de tal forma que também tem trazido esse “modernismo” até para a configuração constituinte de “família” que conhecíamos desde que Deus criou o homem e o estabeleceu dentro de uma família.

Hoje, o termo “família” está sendo assunto de muitos fóruns parlamentares no campo político e de grupos minoritários que professam uma ideologia de família, totalmente contrário ao que conhecemos desde o inicios dos tempos.

Esses debates não têm como meta principal, estabelecer normas ou diretrizes que ajudaram as famílias e melhorarem suas vidas cotidianas nem tão pouco trazer benefícios que modificarão, para melhor, o bem estar de cada uma. Mas, está sobre a mesa desses debates o tema “família”, com o intuito de modificar a configuração original e estabelecida por Deus, dos integrantes desta “família”.

O que está em questão é a tal de “Ideologia de Género” que diz que: “Ninguém nasce homem ou mulher, mas deve construir sua própria identidade, isto é, o seu gênero, ao longo da vida”.

Quando olhamos para a história da criação nas Sagradas Escrituras, podemos encontrar Deus criando o “homem” e “mulher”, e o texto não diz que ambos ficaram com dúvida quanto ao seu sexo. Pelo contrário, isso ficou tão claro para eles que cada um assumiu seu papel dentro de sua personalidade recebida de Deus. Diz o texto assim:

“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” [Gn 1.27].

“Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” [Gn 2:7].

“Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E a constela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a em uma mulher e lha trouxe” [Gn 2:21-22].

Deus não criou o homem e mulher e parou por aí. Deus dá ordens para eles executarem: “E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a…” [Gn 1.28]. O desejo de Deus é que o homem se multiplique, encha a terra e povoe.

Essa é a grande verdade crucial que todo cristão precisa conhecer, e sobre tudo, perseverar nesse conhecimento. Porque, se esse não for o entendimento e a base para a “família” cristã, então, estaremos sempre em crise existencial e seremos extintos, ao longo dos anos.

Além desse desafio que a família cristã enfrenta nos dias de hoje, existe outro tão importante quanto esse que falamos que é “O desafio da família em perseverar na missão de Deus”.

Entendemos o que constitui uma “família”, agora, essa mesma “família” precisa entender a sua missão, dada por Deus, para cumprimento nesta terra.

E o que seria essa missão dada por Deus para as famílias colocarem em pratica e como podemos perseverar nesta missão, diante do contexto que vivemos?

Sobre o texto do livro de Josué que lemos, iremos extrair a resposta para esse questionamento. Vejamos:

Neste primeiro capítulo do livro temos vários posicionamentos da parte de Deus para Josué, como também de Josué para com Deus.

POSIOCIONAMENTO DE DEUS PARA COM JOSUÉ

  1. Deus comissiona Josué [v. 2];
  2. Deus faz promessas de prosperidade a Josué [v. 3, 4];
  3. Deus promete segurança e proteção a Josué [v. 5a];
  4. E Deus faz aliança com Josué, assim como fez com Moisés [v. 5b].

POSIOCIONAMENTO DE JOSUÉ PARA COM DEUS

  1. Josué precisava se Dispor, ou seja, se levantar em obediência a missão [v. 2a];
  2. Josué precisava atravessar o Jordão com o seu povo [v. 2b];
  3. Josué precisava pisar na terra para tomar posse [v. 3];
  4. Josué precisava sê forte e corajoso [v. 6];
  5. Josué precisava se manter firme em observar e praticar a Lei [v. 7];
  6. Josué precisava falar do Livro da Lei e meditar de dia e de noite [v. 8];
  7. Josué precisava crer nas Palavras do SENHOR e não temer o que viesse pela frente [v. 9].

I. COMISSIONAMENTO DE JOSUÉ PARA A MISSÃO [v. 1-4].

Moisés morreu aos cento e vinte anos de idade conforme está registrado no livro de Deuteronômio; mas antes disso, Deus já tinha levantado um substituto para dar continuidade à missão.

O comissionamento de Josué não é apontado aqui, neste exato momento da história; mas, já tinha sido falado e designado anteriormente, conforme está registrado no livro de Números 27.15-23 onde Deus estabelece Josué como sucessor de Moisés.

Neste momento da história, Josué assume de fato a sua missão como sucessor de Moisés; mas a missão é a mesma e o Deus da missão continua sendo o mesmo. A única coisa que muda são os personagens e os desafios que encontrarão no decorre do cumprimento da missão.

[v. 1, 2] Moisés é tido, neste primeiro versículo, como “servo do SENHOR”, ou seja, aquele que estava a serviço direto de Deus.

Josué é apontado desde o inicio como “servidor de Moisés” [Êx 23:13], pois era um servo fiel e que sempre estava ao seu lado auxiliando. Agora, o próprio Deus comissiona Josué como substituto de Moisés; passando assim de servidor de Moisés para “servidor do próprio Deus”, pois a missão era e continua sendo de Deus.

Deus está passando o cumprimento desta missão para Josué. Embora o texto nos apresente Deus falando que Josué deveria passar o Jordão para tomar posse da terra, Deus também diz que “à terra que Eu dou aos filhos de Israel”, ou seja, por mais que Josué precisa-se tomar algumas atitudes para assumir a terra, Deus é quem dá a terra a eles.

[v. 3, 4] Nesses versículos Deus estabelece os limites da terra que seria possuída e como isso aconteceria. A Terra prometida só podia ser possuída mediante o próprio ato da conquista.

A promessa foi dada a Moisés. Portanto, essa conquista teve inicio por Moisés. Josué tem a oportunidade de dar continuidade.

Deus estabelece a mesma promessa de prosperidade que foi dada a Moisés, para Josué. Josué precisava apenas persistir na missão e dar continuidade.

As famílias precisam estar cientes de sua missão e principalmente, do “Senhor” desta missão. Embora sejamos levados pelas circunstâncias da vida, precisamos entender que o Senhor da missão não muda, Ele é o mesmo ontem, hoje e será eternamente.

“Perseverar na missão de Deus é manter-se fielmente no Seu chamado”.

II. A PROMESSA DE PROTEÇÃO E SEGURANÇA DE DEUS PARA COM JOSUÉ [v. 5].

Deus capacita Josué e o encoraja para derrotar os inimigos que surgiriam no decorrer da missão. Josué e o povo estavam prestes a enfrentar uma força superior à deles.  Somente com a proteção e segurança de Deus eles poderiam cumprir a missão de forma triunfante.

Deus não envia Josué para a missão sem a proteção divina. Deus diz que assim como foi com Moisés, Ele seria com Josué. Isso significa que “ninguém pode resistir ao braço forte de Deus que está com o Seu povo”.

Como diz o salmista “Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações” [Sl 46:1]. Deus não “estará” presente quando estivermos em lutas, Ele “Está” presente conosco quando passamos por tribulações.

O evangelho de Mateus começa com “Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)” [Mt 1:23], e termina o próprio Senhor dizendo: “… E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” [Mt 28:20].

Deus continua dizendo a Josué que “não te deixarei, nem te desampararei”. Aqui fica claro para Josué, que ele precisava confiar unicamente em Deus. O que Josué precisava estar ciente sobre essa missão é que, independente do que acontecesse, Deus estaria com ele.

Matinho Lutero ao comentar essa passagem disse que “Deus se comprometeu demais ao dizer essas palavras, e que Ele não ira abandonar os que lhe servem com fidelidade e devoção”.

Muitas vezes nos esquecemos de “quem é Deus que estar conosco”. Falhamos quando não perseveramos na missão de Deus para nossa vida, principalmente quando deixamos de perseverar e motivar nossa família para estarmos juntos nesta missão.

Deus espera integridade e confiança de Seu povo. Deus espera que sejamos como o salmista que diz: “O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente; diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio” [Sl 91:1-2].

III. DEUS ENCORAJA JOSUÉ PARA PERSEVERAR NA SUA MISSÃO [v. 6-9]

Estes próximos versículos estão registradas as palavras de encorajamento de Deus a Josué e um pedido de perseverança na sua conduta como servo de Deus.

Uma vez que Josué se “Dispõe” para cumprir a missão de Deus, ele também precisava perseverar nesta missão, se mantendo fiel à Palavra de Deus, como também precisava buscar forças e coragem para colocar em pratica o que estava sendo desafiado a ele.

[v. 6] Deus traz uma palavra de encorajamento para Josué. Deus fala que, o que foi prometido aos seus antepassados seria cumprido com Josué no comando. Josué precisava estar firme nesta missão.

[v. 7] Mais uma vez Deus encoraja Josué, só que desta vez Ele diz onde Josué encontraria as forças necessárias para cumprir sua tarefa. Deus fala a Josué observar a lei que foi dada a Moisés.

A obediência a Palavra de Deus, sem dúvida alguma, é um grande desafio para os homens. Muitos até conhecem os decretos de Deus, mas poucos obedecem a esses decretos.

Aqui talvez esteja o segredo de sucesso ou insucesso na vida do cristão. Aqueles que obedecem aos mandamentos de Deus trazem sobre si as “bem aventuranças” do Senhor.

O salmista deixa claro isso quando diz que “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite” [Sl 1:1-2].

É exatamente está à questão crucial que ajudará uma família a perseverar na missão de Deus. O prazer de cada um deve está em “obedecer ao SENHOR”. O problema é que queremos recompensa de Deus por assim fazer.

Que recompensa é melhor do que ser achado pelo SENHOR como “Bem Aventurado”? O que importa mais, as bênçãos de Deus em nós, ou o próprio Deus conosco?

Quando nossa postura for a obedecer aos mandamentos do SENHOR com prazer e satisfação, então seremos “… como árvore plantada junto a corrente das águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido” [Sl 1:3].

[v. 8] As palavras deste versículo reforça a mensagem do anterior. A absoluta necessidade de obediência à lei é descrita neste versículo. A palavra da lei precisava estar na boca de Josué, sempre pronta para ser dita; porquanto era crucial comunica-la a outras pessoas.

[v. 9] O texto termina com as palavras do SENHOR incentivando Josué a ter coragem e agir sem temor. Sua postura como líder precisava ser firme diante das pessoas e dos inimigos que enfrentariam.

Não deveria haver hesitação ou indecisão por parte do líder. Mesmo diante do seu próprio povo, Josué precisava ser forte e corajoso para combater o desânimo; a falta de fé; os falsos deuses; as heresias e os inimigos de dentro.

CONCLUSÃO E APLICAÇÃO

Não é uma tarefa fácil “permanecer firme e constante na fé” como o apóstolo Paulo diz em Ef 6.10. Há tantas coisas neste mundo que nos fazem vacilar e até oscilar em nossa fé. Principalmente para os líderes de suas famílias.

Há muitos ensinos que cercam nossos filhos e até nós mesmos. Se não permanecermos alicerçados nos decretos do SENHOR, acreditando que isso nos basta para esse mundo, logo seremos consumidos e entregues aos desígnios deste mundo.

Quando nos deparamos com as palavras de encorajamento de Deus a Josué, podemos entender o seu posicionamento diante de um povo que tinha se desviado do propósito e estavam buscando outros deuses.

Josué faz exatamente o que o SENHOR lhe disse pra fazer, ele diz: “Agora, pois, temei ao SENHOR e servi-o com integridade e com fidelidade; deitai fora os deuses aos quais serviam vossos pais dalém do Eufrates e no Egito e servi ao SENHOR; Porém, se vos parece mal servir ao SENHOR, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses que serviram vossos pais que estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e minha casa  serviremos ao SENHOR” [Js 24:14-15].

Josué faz a mesma coisa que Deus fez com ele. Ele cobra uma postura do povo diante de Deus. Assim como ele foi encorajado a servir ao SENHOR fielmente, ele também encoraja o seu povo.

Josué, em nome de sua família, toma uma postura diante do povo. Ele diz que não só decidiu servir ao SENHOR, como também todos de sua casa fariam o mesmo.

Assim devemos fazer, em nome de nossa família. Tomar uma postura de perseverança e fidelidade a Deus, sem temer nenhum levante do diabo ou qualquer outra coisa; sabendo que “… o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares”.

Publicado por Pr. Luiz de Souza

Não ousaria me definir em frases prontas ou palavras que prefiguram alguém que ainda esta em construção. Vivo para que Deus seja conhecido e busco conhecer cada vez mais esse Deus. Minha gratidão é plena ao ser alcançado e resgatado por Jesus, e por isso vivo para que Ele cresça e eu diminua cada vez mais. Pois "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo". [Ef 3.8]

Um comentário em “A Família na Missão de Deus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

bombasonica

busque evolução e se liberte!

RACHEL SHEHERAZADE

Sermões | Artigos | Devocionais

Consciência Cristã

Sermões | Artigos | Devocionais

O Tempora, O Mores

Sermões | Artigos | Devocionais

Voltemos Ao Evangelho

um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Renato Vargens

Sermões | Artigos | Devocionais

%d blogueiros gostam disto: