A VERDADE no caráter cristão!

>>>>>> Efésios 4.24-30 <<<<<<

INTRODUÇÃO

Uma vez que fomos criados a imagem e semelhança de Deus, precisamos viver segundo Deus. O cristão vive segundo Deus a partir de Seu Filho, Jesus Cristo. Como diz o apóstolo Paulo “também os predestinou para serem conforme a imagem de Seu Filho” [Rm 8.29].

Uma vida cristã autentica é baseada naquele que é o “caminho a verdade e a vida” [Jo 14.6], e JESUS É O NOSSO CAMINHO. Sendo Ele o caminho, não podemos seguir o conselho dos ímpios, nem andar no caminho dos pecadores, nem mesmo nos assentar na roda dos escarnecedores.

JESUS É A VERDADE. Sendo Ele a verdade, precisamos ter prazer na Lei do Senhor e meditar nessa lei de dia e de noite. Pois as Escrituras Sagradas falam das verdades cruciais para o cristão encontrar a Vida e liberdade do pecado. Assim como diz o apóstolo Paulo “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” [Rm 8.32].

Nos versículos que lemos podemos encontrar a preocupação do apóstolo Paulo em, não só exortar os cristãos a uma vida santa, mas também os exorta a uma vida em verdade, pois “Deus é espirito; e importa que os seus adoradores o adorem em espirito e em verdade” [Jo 4.24].

O cristão precisa entender que, uma vez que ele foi despojado do velho homem, ele precisa se revestir do novo homem, criado segundo Deus para viver a verdade plena em sua vida. Assim, todo o seu modo de agir, seu caráter, seus pensamentos e emoções serão provindos de uma verdadeira vida em Jesus Cristo, sem falsidade e mentira.

A luz do texto, iremos analisar com mais detalhes a respeito de uma vida em verdade, para vivermos o verdadeiro caráter cristão, conforma a imagem de Jesus Cristo, segundo Deus.

O novo homem, que é procedente da verdade precisa:

I. DEIXAR A MENTIRA [v.24-25]

Há uma preocupação do apóstolo Paulo com os cristãos em relação à sua nova vida em Cristo Jesus. Ele faz um contraste das atitudes do velho homem com o novo homem criado segundo Deus, e esse homem é desafiado a abandonar sua antiga maneira de viver com um novo viver digno.

Não há compatibilidade com a antiga maneira de viver e à nova vida em Cristo, uma vez que “as coisas antigas já passaram e eis que se fizeram novas” [2Co 2.17].

Paulo diz que esse novo homem nascido em Cristo Jesus – segundo Deus, ao invés de mentir, como antes, ele precisa falar a verdade. Quando deixamos de mentir não mais estamos dando lugar ao diabo, pois ele é o pai da mentira [Jo 8.44]. Nesse texto de João 8.44 Jesus nos ensina a relação entre os que vivem na mentira e sua filiação.

Um cristão que é nascido de novo em Cristo Jesus não pode continuar mentido, isso é uma atitude daqueles que não tem como Pai o Deus eterno e soberano. Nesse caso, o pai desses que ainda vivem uma vida relacionada a mentir, ele tem como Pai o Diabo.

Quando tornamo-nos filhos de Deus, tornamo-nos filhos da verdade e, automaticamente, deixamos de ter prazer na mentira. Uma pessoa que mente ela o faz pra se isentar de alguma culpa ou acusação; ou para mudar os fatos a seu favor; ou para sobressair com relação ao próximo e outras coisas mais.

O apóstolo Paulo nos dá dois motivos pelo qual não podemos mais nos relacionar com a mentira.

  1. Ele diz que o novo homem é “criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade” [v.24]. Em Nm 23.19 diz que “Deus não é homem para que minta”. Em Deus habita a verdade plena. Ele requer que seus adoradores o adorem “em espirito e em verdade” [Jo 4.24].
  2. Ele diz que precisamos falar a verdade “porque somos membros um dos outros” [v. 25]. O fato de sermos membros uns dos outros torna absurda toda mentira, pois ao mentir não prejudicamos somente ao próximo, mas também a nós mesmos – uma vez que somos membros do mesmo corpo.

Quando deixamos a mentira temos que substituí-la pela verdade. A palavra grega para “mentira” é ψευδος pseudos que quer dizer “falsidade consciente e intencional”.

O Cristão deve rejeitar todas as formas de falsidade – falsas doutrinas, falsas práticas religiosas, falsidade nos negócios e vida particular. O nosso dever é viver a verdade e na verdade.

O novo homem, que é procedente da verdade precisa:

II. NÃO PECAR POR CAUSA DA IRA, NEM DAR LUGAR AO DIABO [v. 26-27].

A ira em si não é pecado. Animais se iram. Bebês se iram. Deus se ira. No entanto, há um nível ou momento em que a ira pode tornar-se pecaminosa. Ela só se torna pecaminosa quando damos lugar ao Diabo.

O apóstolo Paulo preocupado com as atitudes do novo homem, que é procedente da verdade, Ele diz que se sentimos ira em algum momento de nossas vidas, não devemos dar lugar ao diabo. Temos que procurar a reconciliação antes que o sol se ponha.

Essa também é uma recomendação do salmista Davi quando diz “Irai-vos e não pequeis; consultai o travesseiro o coração e sossegai” [Sl 4.4].

A expressão “não se ponha o sol sobre a vossa ira” significa que os nossos relacionamentos devem sempre estar em harmonia. Estar irado com o próximo nos tira da comunhão.

Jesus nos ensina a fazer a reconciliação com o irmão antes de entregar a nossa oferta no altar [Mt 5.23-24], pois “Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” [1Jo 4.20].

O cristão que tem um caráter verdadeiro precisa saber lidar com as emoções provindas de uma vida em santidade, constantemente atacada por Satanás; mesmo assim ele não deve dar lugar ao diabo.

Tiago nos diz “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e le fugirá de vós” [Tg 4.7].

O novo homem, que é procedente da verdade precisa:

III. AO INVÉS DE FURTAR, DEVE TRABALHAR PARA REPARTIR [v. 28]

Em outro momento o apóstolo Paulo havia falado à igreja que “… somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antemão preparou para que andássemos nelas” [Ef 2.10]. Deus nos criou para que andássemos em boas obras, e não em furtos ou ações que tirem o que é dos outros.

Um caráter firmado na verdade é aquele que não rouba do seu próximo. Deus instruiu o seu povo, em seu oitavo mandamento dizendo “Não furtarás” [Ex 20.13].

Quando alguém que roubava, se torna filho de Deus, o primeiro fruto, de sua conversão é devolver o que antes roubou. Ele reconhece que pegou algo que não é seu, e em demonstração de arrependimento, ele devolve ou restitui o que roubou.

Podemos encontrar esse exemplo na vida de Zaqueu que, antes, roubou das pessoas e agora que teve encontro com Jesus, sua vida foi mudada e o primeiro fruto dessa mudança foi repartir os seus bens com os pobres e não só devolver, mas restituir até quatro vezes mais àqueles aquém tinha defraudado [Lc 19.1-10].

Continuar na mentira, continuar roubando, continuar sem os frutos de uma nova vida é o mesmo que dar lugar ao diabo. Alguém que dá lugar ao diabo não faz o bem com as próprias mãos. É alguém que nunca acode ao necessitado.

O cristão que tem um caráter baseado na verdade sabe viver com o que é seu e também sabe repartir com aqueles que necessitam.

O novo homem, que é procedente da verdade precisa:

IV. FALAR PALAVRAS DE EDIFICAÇÃO, AO INVÉS DE PALAVRAS DESTRUTIVAS [v. 29]

O cristão não pode ser influenciado pelo mundo, pelos meios de comunicação, principalmente pela televisão e adotar o mesmo linguajar daqueles que não temem a Deus.

O apóstolo Paulo agora trata de algo mais pratico na vida do cristão. Uma vez que nascemos de novo, também temos um novo proceder, com relação às palavras, baseado na verdade, e essa verdade deve trazer edificação e não destruição.

Somos levados a fazer uso das Escrituras Sagradas que falam das Palavras de vida eterna de Jesus Cristo, mas também falam das palavras de justiça, que pertencem a Deus. Muitas vezes queremos fazer uso dessa justiça, e as vezes, acabamos entristecendo outros ou até mesmo afastando aqueles aquém amamos.

A palavra grega para “torpe” é σαπρος sapros que significa “apodrecido, podre, de péssima qualidade, ruim, improprio para uso e sem valor”. Uma palavra torpe é uma comunicação corrupta, e, certamente, não vem do Espírito Santo.

Um cristão com o caráter procedente da verdade, ao invés de usar palavras obscenas, precisa fazer uso de palavras que transmitam a graça de Deus, que edificam e transformam vidas.

O novo homem, que é procedente da verdade precisa:

V. AO INVÉS DE ENTRISTECER O ESPÍRITO SANTO, PRECISA ANDAR NELE [v. 30].

Uma vez que recebemos um novo nascimento em Cristo Jesus, nossa vida agora está selada pelo Espírito Santo de Deus, a terceira pessoa da Trindade.

O que o apóstolo Paulo está dizendo a esses cristãos – procedentes da verdade, é que: eles deveriam observar suas atitudes, uma vez que estão despojados do velho homem e revestidos do novo homem, criado segundo Deus – conforme a imagem de Seu Filho; Esse homem não deve entristecer o Espírito Santo de Deus. Pois o Espírito é a marca de propriedade de Deus colocada nesse novo homem, a qual é a garantia de que chegará o dia em que Deus o salvará do pecado de forma completa e gloriosa.

Dar lugar ao diabo entristece o Espírito Santo; Mentir entristece o Espírito Santo; furtar entristece o Espírito Santo; Ter e não compartilhar com os que necessitam entristece o Espírito Santo; Falar palavras de destruição e que não edificam entristece o Espírito Santo.

O cristão que tem um caráter procedente da verdade tem sua vida guiada pelo Espirito Santo. Essa vida é iluminada pelo Espirito Santo, a luz das Sagradas Escrituras, pois ela é “Lâmpada para os meus pés, e luz para os meus caminhos” [Sl 119.105].

CONCLUSÃO E APLICAÇÃO

O apóstolo Paulo não está fazendo nada mais do que advertir ao cristão que ele agora tem uma nova vida para viver e que essa nova vida requer mudanças.

A primeira mudança é no caráter desse cristão. Por isso ele precisa despojar do velho homem e revestir-se do novo homem criado segundo Deus, conforme a imagem de seu Filho.

Essa nova vida precisa caminhar segundo o caráter de Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador. Ele é o meio pelo qual somos regenerados, pois “… assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram, eis que se fizeram novas” [2Co 5.17].

Essas coisas novas estão em conformidade com o caráter de Cristo, pois Ele é a nossa luz. Tudo o que somos e temos deve proceder de uma nova vida em Cristo, movida pelo Espírito Santo, segundo Deus.

Publicado por Pr. Luiz de Souza

Não ousaria me definir em frases prontas ou palavras que prefiguram alguém que ainda esta em construção. Vivo para que Deus seja conhecido e busco conhecer cada vez mais esse Deus. Minha gratidão é plena ao ser alcançado e resgatado por Jesus, e por isso vivo para que Ele cresça e eu diminua cada vez mais. Pois "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo". [Ef 3.8]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

bombasonica

busque evolução e se liberte!

RACHEL SHEHERAZADE

Sermões | Artigos | Devocionais

Consciência Cristã

Sermões | Artigos | Devocionais

O Tempora, O Mores

Sermões | Artigos | Devocionais

Voltemos Ao Evangelho

um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Renato Vargens

Sermões | Artigos | Devocionais

%d blogueiros gostam disto: