O Cristão e sua responsabilidade COMO igreja e COM a igreja.

Hebreus 10.23-25.

Introdução:

É muito importante meditarmos sobre como sermos cristãos para a Glória de Deus. Em nosso meio há diversas formas de praticarmos o cristianismo, como temos meditado nestes últimos estudos sobre vida cristã saudável. Mas ainda existe algo muito importante que todo cristão de fato precisa conhecer. Ele, quanto cristão, não só tem uma responsabilidade diante de Cristo como também passa a se envolver com seus irmãos em Cristo, e isso o leva a ter uma responsabilidade um com o outro, pois isso é ser igreja. Mas também, ele tem uma responsabilidade com a Igreja local, no qual ele deve exercer seu cristianismo associado a essa igreja local.

Então, entendemos que o cristão tem uma responsabilidade, “como igreja”sendo ele participante do corpo de Cristo (que é a igreja), e responsabilidade “com a igreja”sendo ele membro desse corpo (igreja) como os demais.

O texto que lemos, o autor escreve a todos os cristãos espalhados pela face da terra com intuito de exortá-los a permanecerem fieis àquele que vos chamou e que permanece fiel. O autor chama atenção aos cristãos o fato de perseverarem na esperança da vinda do Senhor, não deixando de congregar, como alguns fazem.

A luz do texto que lemos, iremos extrair as verdades contidas para aplicarmos a nosso modo de viver, como cristãos responsáveis como igreja e com a igreja”.

I. GUARDEMOS FIRME A CONFISSÃO DA ESPERANÇA [Vers. 23a]

Nesta passagem o autor chama atenção para que guardemos firme a esperança na qual confessamos. A perseverança dos santos não é algo para manter a salvação, mas a evidência dela. Embora existam participações (obras) importantes dos cristãos aqui na terra, sabemos que chegará um momento em que não haveremos de permanecer neste lugar. Todo cristão deve manter viva a esperança da vinda do Senhor.

1Pe 1:3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos.

Essa confissão de que Cristo irá voltar nos foi dada pelo Próprio quando diz aos seus discípulos em João 14.1-3 e Atos 1.3-11. Ambos os texto Jesus fala da ida e do seu retorno para buscar os que permanecerem fiéis e guardarem os seus mandamentos. Essas palavras de Jesus nos garantem a permanecerem firmes na esperança, até que Ele venha.

II. SEM VACILAR, POIS QUEM FEZ A PROMESSA É FIEL [Vers. 23b]

Outra alerta é nos dado na segunda parte do versículo 23. O autor nos diz para guardarmos firme a confissão da esperança e sem vacilar. Vejamos o que significam essas palavras:

  • Sem vacilar. Aqui encontramos importantíssima condição para todo cristão verdadeiro, manter viva a sua esperança sem vacilar neste mundo. Quando ele diz “sem vacilar” está nos conduzindo a mantermos em pé e confiantes diante do desânimo e da falta de fé.

Todo Cristão já vivei dias de angústias. Dias de falta de fé. Dias que parecem que nada estar o seu favor. Dias onde o céu estar de bronze, nada sobe e nada desce de lá. Esses são dias onde vacilamos na fé, vacilamos em nossa confiança nas promessas de Jesus.

O Apostolo Paulo em sua segunda carta aos Coríntios encerra pedindo aos irmãos a continuarem firme “sem vacilar” na caminhada Cristã. “Quanto ao mais, irmãos, adeus! Aperfeiçoai-vos, consolai-vos, sede do mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz estará convosco” 2 Co 13:11.

Na carta aos Efésios ele repete a mesma sentença aos cristãos dizendo: “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder” Ef 6:10.

Todo cristão para viver de forma saudável em sua caminhada, ele deve manter-se firme e constante na fé sem vacilar para não deixar morrer a sua esperança em Cristo Jesus.

  • Quem fez a promessa é fiel. Aqui encontramos uma declaração que uma vez por outra desaparece da mente e coração do cristão. Ela deve ser trazida a nossa memória todos os dias de nossa vida, pois só assim não vacilaremos na fé e nunca duvidaremos do Jesus que fez a promessa.

Certa vez Jesus estava com seus discípulos e os exortava a permanecerem vigilantes quanto às coisas que viram após a sua partida, Ele diz que: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” Lc 21:33. Mediante essas palavras ele firma seu compromisso com discípulos para que se mantivessem confiantes em suas Palavras.

No livro de Jeremias encontramos Deus falando através de Balaão para abençoar o povo de Israel e lhe pronuncia dizendo: “Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá”? Nm 23:19

O Jesus da Bíblia é fiel em cumprir as Suas promessas. Ele prometeu que morreria, mas que ressuscitaria no terceiro dia, e isso se cumpriu. Ele nos prometeu que viria Espírito Santo, e se cumpriu. Ele prometeu que iria pra junto do Pai, mas voltaria para buscar os seus, precisamos manter viva essa esperança sabendo que O que prometeu é fiel para cumprir as Suas promessas.

III. CONSIDEREMOS-NOS UNS AOS OUTROS [Vers. 24]

Nesta parte do texto encontramos um pedido de encorajamento mútuo para um compromisso total com Deus. Um esforço, não só da parte do cristão em si, mas de todos há considerarem uns aos outros em amor e no cumprimento das boas obras. Podemos destacar pelo menos dois pontos neste texto para uma vida cristã saudável.

1. A vida cristã é composta não por individualidade, mas em mutualidade. O cristão precisa saber que não está sozinho neste mundo. O Deus que o criou também criou todos os outros. Ele nos fez viver em unidade, juntos em harmonia. Jesus recebe uma missão para executar na terra, mas participa dessa missão com mais 12 homens e lhes confia à continuidade dessa tarefa.

 Deus cria o homem e diz a ele “crescei e multiplicai”. Paulo em sua carta aos Coríntios diz que todos somos membros de um corpo, ambos com participações importantes e necessárias para o bom desenvolvimento do corpo. 1 Co 12

2. A vida cristã é composta em cumprimento do amor. Fomos criados por um Deus de amor e regenerados em um Jesus que foi o maior exemplo de amor que já existiu. Assim, também aprendemos que o amor deve fazer parte de nossas vidas em constante crescimento para sermos semelhantes ao nosso Mestre.

Jesus nos ensinou a amar, pois não sabíamos o significado pratica dessa palavra. Jesus nos deu exemplo de amor pelos humildes de coração, os rejeitados pela sociedade e os pedidos. A esses Ele demonstrou amor, sem pronunciar muitas palavras. Esse amor deve ser vivido e praticado por cada cristão, uns pelos outros.

3. A vida cristã é composta em cumprimento das boas obras. Quanto ao cumprimento das “boas obras”, essas, Deus antes já “antes” preparou para que andássemos nelas [Ef 2.10]. Elas foram criadas por Deus antes de tudo para que pudéssemos cumpri-las em honra e glória dEle.

Não podemos nos gloriar por às praticarmos, levando pra nós mesmo o mérito por as terem praticados. Mas podemos sim nos gloriar por às praticarmos em louvor e glória de Deus, sabendo que Ele foi exaltado por Ele mesmo através de nós.

IV. NÃO DEIXEMOS DE CONGREGAR-NOS [Vers. 25]

A adoração coletiva é uma parte vital da vida espiritual de todo cristão. Negligenciar as reuniões cristãs é desistir do encorajamento e da ajuda de outros cristãos. Nos reunimos para compartilhar nossa fé e para fortalecermo-nos uns aos outros no Senhor. Encontramos em Atos dos Apóstolos uma igreja que se reunia para orarem juntos, compartilharem suas necessidades uns com os outros, perseverarem na doutrina dos apóstolos [At 2.42-47] e acima de tudo, estavam todos juntos aguardando a volta de Cristo.

As reuniões de cultos servem para:

  • Adorarmos a Deus, juntos;
  • Fortalecermos uns com os outros;
  • Intercedermos uns pelos outros;
  • Admoestar uns aos outros (παρακαλεω parakaleo – consolar, encorajar e fortalecer pela consolação, confortar e exortar);

CONCLUSÃO

A igreja precisa estar unida exercendo o amor, praticando as boas obras e mantendo viva a sua esperança em comunhão uns com os outros. Isso só é possível se estivermos juntos, congregando juntos, sabendo das necessidades uns dos outros. Quando levarmos em consideração esses pontos, seremos cristãos responsáveis como igreja e com a igreja.

Publicado por Pr. Luiz de Souza

Não ousaria me definir em frases prontas ou palavras que prefiguram alguém que ainda esta em construção. Vivo para que Deus seja conhecido e busco conhecer cada vez mais esse Deus. Minha gratidão é plena ao ser alcançado e resgatado por Jesus, e por isso vivo para que Ele cresça e eu diminua cada vez mais. Pois "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo". [Ef 3.8]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

bombasonica

busque evolução e se liberte!

RACHEL SHEHERAZADE

Sermões | Artigos | Devocionais

Consciência Cristã

Sermões | Artigos | Devocionais

O Tempora, O Mores

Sermões | Artigos | Devocionais

Voltemos Ao Evangelho

um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Renato Vargens

Sermões | Artigos | Devocionais

%d blogueiros gostam disto: