A SUFICIENTE SATISFAÇÃO EM DEUS – A resposta de Deus ao prazer do cristão na alegria do cristão.

Mateus 25.31-46.

Introdução:

É bem comum, entre muitos, uma satisfação em saber de algo de ruim que aconteceu com alguém que fez o mal a alguém. A comunidade cristã tem padecido deste mal que permeia entre a sociedade. O cristão tem de certa forma se alegrado com as noticias negativas relacionadas há alguém de nosso convívio ou de outra comunidade.

Isso acontece quando recebemos a noticia que, alguém está enfermo ou padecendo de alguma necessidade, logo queremos relacionar esse fato há uma “culpa por algum erro, ou há uma falta de fé, ou até mesmo uma vida de pecado”.

Foi assim com Jó, quando um momento particular de dor e sofrimento da parte de Deus o aflige, o que acontece? Logo chegam seus “amigos” para o acusarem de uma vida de pecado ocasionando toda a tragédia na vida de Jó.

Jesus fala aos seus discípulos sobre o juízo final. Ele lhes dá uma explicação acerca do que e como acontecerá o julgamento na segunda vinda de Cristo.

O que queremos apresentar neste estudo não está tão relacionado à maneira como isso (juízo final) acontecerá, mas ao resultado na vida dos “cristãos” que observarem algumas atitudes relevantes e fundamentais, enquanto ainda estamos neste mundo, que contribuirá positivamente ou negativamente para a sentença final, embora o texto não trate somente com os cristãos (ovelhas), mas também fala dos ímpios (bodes). Isso não significa um julgamento para os cristãos, mas a decretação da sentença. [Jo 3.13-21]

Quais são as atitudes relevantes e fundamentais para uma resposta positiva de Deus aos cristãos?

UM PRAZER NA ALEGRIA DO OUTRO [vers.34-40]

A verdadeira prova de nossa crença é a maneira como agimos uns com os outros. Nossas atitudes e ações para as pessoas mostram quem somos para Deus. A fé é algo fundamental na vida do cristão. Uma vida cristã sem fé é impossível agradar a Deus, pois a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos. [Hb 11.1]

O apostolo Paulo fala que pela graça de Deus somos salvos, mediante a fé…” [Ef 2.8]. Já no livro de Tiago 2.14-17 encontramos uma verdade que diz “… que aproveita alguém dizer que tem fé e não tiver obras?…”. Ele ainda diz “… a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma”.

Tiago está falando que ao identificarmos alguém que está padecendo de uma necessidade, seja ela qual for, e atendermos essas pessoas só no campo espiritual ou motivacional e não no material ou na providência ao necessitado, nossa fé é morta.

Jesus diz aos seus discípulos que no dia do juízo final, um grupo de pessoas que ele denomina de ovelhas, ouvirá de Sua boca a frase “Vinde benditos de meu Pai” [Mt 25.40]. Esse grupo de pessoas ouvirá isso por causa de suas atitudes com relação aos cristãos que ele denomina de “pequeninos irmãos”.

Aquilo que elas fizeram por esses “pequeninos irmãos” neste mundo, agradou ao próprio Jesus ao ponto d’Ele dizer que fizeram diretamente a Ele.

Esse grupo de pessoas, que no versículo 37 são chamados de “justos” perguntam ao Senhor quando fizeram isso a Ele, pois não perceberam que era para Ele que estavam fazendo. [vers. 37]

Jesus responde que: quando fizeram há um dos “pequeninos irmãos” neste mundo, estavam fazendo ao próprio Jesus. [vers. 40]

Aqui encontramos algumas verdades:

  1. Existiam alguns pequenos irmãos padecendo de necessidade;
  2. Um grupo de pessoas foi ao encontro desses necessitados;
  3. A resposta desse encontro foi a providencia daquilo que padeciam;
  4. Houve uma resposta positiva desse grupo de pessoas aos necessitados, sem a espera de uma recompensa imediata da parte dos necessitados.

Um cristão de verdade, ele se preocupa com o outro sem se preocupar com o retorno. Um cristão comprometido com os padrões divinos, ele oferece com a mão direita, sem que a esquerda fique sabendo [Mt 6.3 “Mas quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita”].

Quando pensamos dessa forma e nos alegramos com o resultado positivo que a nossa resposta ao necessitado lhe causou – ou seja, agora ele já não é mais necessitado – ao mesmo tempo Jesus muito satisfeito, olha pra nós e diz “Vinde benditos de meu Pai”.

Se cada cristão, em busca da Suficiente Satisfação em Deus, entendesse que os “pequeninos irmãos” são a resposta de Deus à nossas atitudes, seriamos cristãos melhores e mais satisfeitos com Deus, na alegria de nossos irmãos.

Publicado por Pr. Luiz de Souza

Não ousaria me definir em frases prontas ou palavras que prefiguram alguém que ainda esta em construção. Vivo para que Deus seja conhecido e busco conhecer cada vez mais esse Deus. Minha gratidão é plena ao ser alcançado e resgatado por Jesus, e por isso vivo para que Ele cresça e eu diminua cada vez mais. Pois "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo". [Ef 3.8]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

bombasonica

busque evolução e se liberte!

RACHEL SHEHERAZADE

Sermões | Artigos | Devocionais

Consciência Cristã

Sermões | Artigos | Devocionais

O Tempora, O Mores

Sermões | Artigos | Devocionais

Voltemos Ao Evangelho

um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Renato Vargens

Sermões | Artigos | Devocionais

%d blogueiros gostam disto: